Quando Jesus entrou no mundo, o clima predominante em Israel era tudo menos esperançoso. A antiga nação orgulhosa estava agora sujeita a Roma, uma nação pagã. A pessoa comum vivia sob o peso dos requisitos da instituição religiosa. Séculos antes, fora-lhes prometido um libertador que restauraria Israel à sua antiga glória, mas isso nunca aconteceu. Dessa cínica desesperança nasceu a verdadeira Esperança e seu nome é Jesus.

No entanto, a tragédia desse primeiro Natal foi que pouquíssimas pessoas perceberam a esperança que fora trazida. Esperança pelo perdão dos pecados. Esperança por um futuro brilhante — eterno. Esperança que nos capacita a esquecer o passado e poder colocar o nosso olhar em coisas que não decepcionam. Uma esperança que, por causa de Jesus, é uma certeza, e não apenas outro desejo que é precipitado das rochas da realidade.

Lemos no Salmo 42:5 “…Eu porei a minha esperança em Deus e ainda o louvarei. […] Ele é o meu Salvador e o meu Deus.” Jesus veio para lhe dar algo melhor do que as decepções da vida no planeta Terra. E quando pela fé você aceita Jesus e tudo o que Ele prometeu, você pode ter a esperança que não é mais apenas um desejo estilo “ dedos cruzados” que abriga em seu coração, mas sim o otimismo confiante, corajoso que está enraizado na segurança da Palavra de Deus.

Hoje, podemos ter a esperança e a expectativa que se baseia na fé em Cristo. Isto significa que ela pode ser firme porque se sustenta na bondade e fidelidade de Deus. Paulo descreveu esta esperança na carta aos Romanos: Que Deus, que nos dá essa esperança, encha vocês de alegria e de paz, por meio da fé que vocês têm nele, a fim de que a esperança de vocês aumente pelo poder do Espírito Santo! (15:13).

Esta oração maravilhosa revela dois pensamentos significativos sobre a esperança. Primeiro, Deus é “a fonte de esperança”. A alegre antecipação não existe sem um alicerce. O alicerce da esperança não é uma teoria ou uma filosofia; é uma Pessoa.     A esperança é uma realidade enraizada no próprio Deus; não é algo que tenhamos de trabalhar por nossa própria força. Segundo, Paulo diz que podemos “transbordar de esperança confiante”. Deus dá o Seu Espírito aos Seus filhos, e a esperança poderosa.

A esperança não é simplesmente algo que fazemos, com os dentes cerrados e os dedos cruzados. A esperança ou alegre antecipação — é algo que nos vem de Deus por meio de Seu Filho Jesus. A esperança é algo que podemos ter. Nós a possuímos quando conhecemos o Deus que é a fonte e a razão de termos a esperança. A verdadeira esperança nos fortalecerá para a ampla variedade de desafios que enfrentamos se enxergarmos esses desafios através da lente do caráter de Deus. Feliz Natal!

(Extraído do devocional  Pão Diário)

Escreve um comentário

*

Your email address will not be published.