Você está vivendo um período da vida do qual não entende o que Deus está fazendo e você parece não conseguir melhorar sua situação, seu local ou suas relações? Talvez você não se sinta totalmente desamparado, mas se sente:

– Querendo honrar o Senhor e fazer o que Ele diz ser certo, apesar de outros estarem fazendo errado e estarem prosperando.

– Frustrado em razão da vida não estar do jeito que gostaria, assim, aquilo que você deseja é geralmente um sonho e raramente uma realidade.

– Confuso porque Deus lhe escolheu para que a sua história tomasse o curso que tomou e ansioso para saber o que vem em seguida.

– Lutando com a sensação de que outras pessoas que parecem menos merecedoras recebem mais bênçãos do que você.

Eu não sei você, mas muito do meu conforto diário vêm do fato de eu conseguir fazer sentido das circunstâncias e determinar os detalhes da minha vida. Ao mesmo tempo, se tomarem minha habilidade de entender e o meu controle de perceber, você verá ansiedade, medo, frustração e dúvida instaurados.

É doloroso exercitar a maturidade espiritual, mas existem razões inescapáveis, necessárias e úteis do porquê nos sentimos confusos e impotentes.

  1. Porque vivemos num mundo quebrado, com pessoas caídas. Gênesis 3.17-19 define o que aconteceu quando o pecado adentrou o mundo. “Maldita é a terra… com sofrimento… todos os diasde sua vida… espinhos e ervas daninhas… com o suor do seu rosto.” Num mundo quebrado e com pessoas que são egoístas, competitivas e impacientes – incluindo eu e você – tudo o que fazemos é mais difícil e mais complicado.
    1. Porque Deus é soberano e a narrativa não é sobre nós. Nós não somos os autores da vida. Nossas histórias individuais estão costuradas na grande narrativa origem-ao-destino que Deus sozinho escreveu. Ainda que circunstâncias pareçam fora do controle, elas nunca estiveram fora do controle de atenção infinita do seu Pai. Ao mesmo tempo, você e eu devemos nos lembrar que a narrativa do universo existe unicamente para a glória eternal do Criador, não para o nosso conforto e prazer momentâneos.
    2. Porque Deus tem ministrado a nós e aos outros. Deus é a definição final do que é sábio, amor e bondoso, usando estes momentos para nos resgatar da nossa escravidão do reino de mim mesmo e nos conduzir a uma excelentíssima aliança com o Seu Reino. Simultaneamente, Deus nos chama para fazer parte com o que Ele está fazendo na vida dos outros. Momentos de dificuldade e confusão nos equipam para ministrar a outros em tempos de luta (2Coríntios 1.3,4).

    Em amor, Deus o levará onde você não quer ir para, assim, produzir em você aquilo que você não conseguiria obter por si próprio. É graça incômoda, mas ainda é graça divina e terna.

CategoryArtigos, Pastoral
Escreve um comentário

*

Your email address will not be published.