Na semana que passou, comemoramos os 161 anos da Igreja Presbiteriana do Brasil, pois, foi no dia 12 de agosto de 1859, que o missionário americano Rev. Ashbel Green Simonton chegou ao nosso país.

Conforme o historiador da IPB, Rev. Alderi Souza de Matos: “O surgimento do presbiterianismo no Brasil resultou do pioneirismo e desprendimento do Rev. Ashbel Green Simonton (1833-1867). Nascido em West Hanover, na Pensilvânia, Simonton estudou no Colégio de Nova Jersey e inicialmente pensou em ser professor ou advogado. Influenciado por um reavivamento em 1855, fez a sua profissão de fé e, pouco depois, ingressou no Seminário de Princeton.

Um sermão pregado por seu professor, o famoso teólogo Charles Hodge, levou-o a considerar o trabalho missionário no estrangeiro. Três anos depois, candidatou-se perante a Junta de Missões da Igreja Presbiteriana dos Estados Unidos, citando o Brasil como campo de sua preferência. Dois meses após a sua ordenação, embarcou para o Brasil, chegando ao Rio de Janeiro em 12 de agosto de 1859, aos 26 anos de idade”.

Por isso, o mês de agosto é comemorado na IPB como o “Mês das Missões”.

Missões é tarefa da igreja, responsabilidade do crente, necessidade do mundo. Jesus ordenou: “Ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda a criatura.” (Mc 16.15)

Roger Greenway, em seu livro Ide e Fazei Discípulos, nos ajuda a entender por que devemos fazer missões:

  1. O desejo de que Deus seja adorado e sua glória conhecida entre todos os povos da terra. A principal tarefa da igreja é glorificar a Deus, pois esse deve ser o principal alvo do ser humano: glorificar a Deus e ter prazer nEle. Devemos então fazer missões para que todos os povos adorem ao Senhor. “Louvem-te os povos, ó Deus; louvem-te os povos todos. Alegrem-se e exultem as gentes” (Sl 67.3-4). Entretanto, mais de três bilhões de pessoas no mundo não adoram ao verdadeiro Deus. Devemos fazer missões para que todos louvem, exaltem, adorem ao Senhor!
  2. O desejo de obedecer a Deus por gratidão, por meio do cumprimento da comissão de Cristo: “Ide fazei discípulos de todas as nações” (Mt 28.19). O amor genuíno por Deus produz obediência à sua Palavra. “Se me amais, guardareis os meus mandamentos” (Jo 14.15). A igreja deve fazer missões por obediência em amor a Deus.
  3. A preocupação de que as igrejas cresçam e se multipliquem e de que o reino de Cristo seja estendido por meio de palavras e ações que proclamem a compaixão e a justiça de Cristo a um mundo de sofrimento e injustiça. Para termos um mundo melhor, é preciso que as pessoas sejam transformadas pelo poder do evangelho.A paixão missionária pela glória de Deus é acompanhada pela paixão pelas pessoas que, por ignorância e descrença, estão morrendo em seus pecados.

    Que a nossa igreja seja uma igreja missionária, para a glória de Deus, nossa felicidade e salvação dos perdidos. Amém!

CategoryArtigos, Pastoral
Write a comment:

*

Your email address will not be published.