1. Ser Vocacionado: Na Igreja de Cristo ninguém tem autonomia para se autonomear. Pastor, Presbíteros e Diáconos, todos, sem exceção, precisam ser vocacionados por Deus para estes ofícios (Hb 5.4).
  2. Ser discípulo de Cristo: (At 6.1,3) Os diáconos seriam escolhidos pela Igreja, entre os seus membros, entre os discípulos de Cristo. O diaconato não pode ser terceirizado.
  3. Ter boa reputação: (At 6.3) O diácono precisava ter o reconhecimento público de uma vida digna. (At 10.22; 1Tm 5.10; Hb 11.2,4).
  4. Ser cheio do Espírito Santo: (At 6.3) Eles precisavam ser cheios do Espírito como todo o cristão, Ef 5.18, para poderem, de modo especial, desempenhar as suas atividades dignamente, demonstrando amor, alegria, paz, longanimidade, mansidão… que são subprodutos do amor, que é o fruto do Espírito (Gl 5.22,23).
  5. Ser cheio de sabedoria: (At 6.3) Esta sabedoria tem pouco ou nada a ver com conhecimento. Os diáconos precisariam ter a sabedoria concedida pelo Espírito para saberem como resolver os problemas que já existiam e outros novos, que não tardariam a aparecer. (Tg 1.5,6).
  6. Ser respeitável: (1Tm 3.8) O diácono deve ter um procedimento sério; digno de todo respeito e admiração, como resultado da submissão a Deus dos seus sentimentos e pensamentos.
  7. Ter uma só palavra: (1Tm 3.8) O diácono não deve ser um difamador, levando e trazendo casos dos lares onde visita (não deve ser mexeriqueiro); Não deve ser alguém que pense uma coisa e diga outra; Não deve ser alguém que diz uma coisa para uma pessoa e algo diferente para outra, falando conforme o interesse do seu interlocutor.
  8. Não deve ser inclinado a muito vinho: (1Tm 3.8) Essa orientação de Paulo indica o perigo da embriaguez. Paulo não exige total abstinência; ele fala de moderação (1Tm 3.3;Tt 1.7); todavia, cremos que a abstinência seja recomendável (Rm 14.21/1Ts 5.22).
  9. Não cobiçosos de sórdida ganância: (1Tm 3.8) Não ser alguém que lucra desonestamente, adaptando, modificando o ensinamento aos interesses de seus ouvintes a fim de ganhar dinheiro deles. Também pode se referir ao envolvimento em negócios escusos.
  10. Seja marido de uma só mulher: (1Tm 3.12) Aqui não se estabelece uma regra dizendo que os diáconos devem ser casados; o que se diz é que eles, sendo casados, devem ser maridos de uma só mulher.
  11. Que governe bem seus filhos e sua casa: (1Tm 3.12/3.4-5) A maneira do diácono governar a sua casa é um sintoma da sua capacitação ou não para exercer o seu ofício. O diácono juntamente com sua família, deve se constituir num exemplo de vida.

Por: (Hermisten M. P. Costa)

CategoriaArtigos, Pastoral

© 2018 Igreja Presbiteriana de Jundiaí.Feito por: Loro Comunicação

Siga-nos: