Viver agradando pessoas é um perigo. Provérbios 29.25 nos alerta: “Quem teme ao homem cai em armadilhas…”

Há pessoas que são mentalmente escravas da aprovação dos outros. Se elas não são aprovadas, elas se amarguram; elas se preocupam demais com os que os outros pensam dela. O certo é que se você centrar sua vida tentando descobrir o que o outro quer que você seja, em breve você se tornará o que o outro quer.

Viver preocupado com que os outros pensam é algo muito profundo; é algo espiritualmente sério: é uma idolatria. Devemos nessa vida apenas agradar a Deus. Quando lemos em Êxodo 20.3 a ordem de Deus: “Não terás outros deuses além de mim”, isso significa que qualquer coisa que você coloca acima de Deus se torna um ídolo. A profissão, os bens, um relacionamento, um esporte, desejos etc, podem se tornar um ídolo em sua vida; a lista é grande.

E assim, quando você permite que as opiniões e o pensamento das pessoas se tornem algo prioritário em sua vida, mais do que a opinião e a vontade de Deus, isso lhe transforma num idólatra. E qualquer coisa que tira o seu coração de Deus é um ídolo. E a idolatria é pecado!

Do ponto de vista espiritual quando você esconde das pessoas suas decisões espirituais, ou seja, você não quer que elas saibam sobre sua fé em Jesus, sobre sua ida a igreja, sobre sua leitura da Bíblia etc, simplesmente porque ao saber disso, você crê que elas podem deixar de lhe amar,

ou até mesmo lhe criticar, nesse exato momento agradar pessoas tornou-se mais importante do que agradar a Deus, e isso é idolatria. E para essas questões espirituais, Paulo afirmou categoricamente o seguinte em Gálatas 1.10: “Acaso busco eu agora a aprovação dos homens ou a de Deus? Ou estou tentando agradar a homens? Se eu ainda estivesse procurando agradar a homens, não seria servo de Cristo.”.

Você até poderia dizer: “Muito bem… é isso que eu precisava ouvir… vou parar de agradar as pessoas e começar agradar e pensar mais em mim mesmo.” Errado! Não agradar as pessoas não significa que você deva centrar em si mesmo. Jesus disse o seguinte em João 5.30: “…não procuro agradar a mim mesmo, mas àquele que me enviou”. O alvo final da vida não é agradar pessoas, agradar a você, mas agradar a Deus.

Lembre-se: Você não pode agradar a todos. Na verdade não há necessidade de agradar a todos. Quem agrada a todos arruinará a vida, e por isso pare de agradar a todos e agrade apenas a Deus. Liberte-se desse vício da aprovação das pessoas.

Se você creu em Jesus como seu Senhor e Salvador, você já está totalmente aprovado por Deus e amado por Ele. E se alguém porventura lhe amar menos, é importante que você saiba que Deus nunca o fará, porque o Seu amor por você não é baseado naquilo que você faz, fez ou deixou de fazer. Ele te ama porque decidiu te amar. E isso é algo maravilhoso, poderoso e libertador!

Por: Pr. Roberto Amorim

CategoriaArtigos, Pastoral

© 2018 Igreja Presbiteriana de Jundiaí.Feito por: Loro Comunicação

Siga-nos: