Fonte: Extraído do Livro “Deus é Soberano” Autor: Arthur W. Pink

Quem está regulando as coisas na terra hoje em dia, Deus ou o diabo? Que dizem as Escrituras? Afirmam, vez após vez, que Deus está no trono do universo; que o cetro está em suas mãos; que Ele dirige todas as coisas “segundo o conselho da sua vontade”. Afirmam não somente que Deus criou todas as coisas, mas também que o Senhor domina e reina sobre todas as obras das suas mãos.

Afirmam que Deus é o “onipotente”, que sua vontade é irreversível, que ele é soberano absoluto em cada recanto dos seus vastos domínios. E, certamente, tem de ser assim. Há apenas uma alternativa possível: ou Deus domina, ou é dominado; ou impera, ou é subalterno; ou cumpre a sua vontade, ou é ela impedida pelas criaturas.

Aceitando-se o fato de Que Deus é o “Altíssimo”; o único Potentado e o Rei dos Reis, revestido de sabedoria perfeita e de poder ilimitado, não há resistir-se à conclusão de que deve Ele ser Deus de fato, e não apenas de nome.
As condições atuais requerem, urgentemente, nova análise e nova apresentação da onipotência de Deus, dá autossuficiência de Deus, da soberania de Deus. De cada púlpito da nação precisa ser trovejada a verdade que Deus ainda vive, que Deus ainda observa, que Deus ainda reina.

A fé está no crisol, testada pelo fogo; e não há nenhum lugar adequado de descanso para o coração e para a mente, a não ser no trono de Deus. Estamos, sem dúvida, no limiar de uma crise mundial, e em todos os lugares os homens estão alarmados. Mas, o Senhor Deus não o está! Ele nunca se deixa apanhar desprevenido. Não há emergência inesperada que surpreenda a Deus, pois ele “faz todas as coisas conforme o conselho da sua vontade” (Efésios 1:11).

Portanto, embora o mundo seja tomado pelo pânico, a Palavra, para quem crê, é: “Não temais!” “Todas as coisas” se sujeitam a seu controle imediato: “todas as coisas” avançam segundo o seu eterno propósito, e, assim sendo, “todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito”. Tem que ser assim, porque “dele, e por meio dele, e para ele são todas as coisas” (Romanos 11:36).

Quão pouco se reconhece isso hoje em dia, mesmo entre o povo de Deus! Muitos supõem que Deus é pouco mais que um espectador distante, que não interfere de maneira direta nos assuntos da terra. É verdade que o homem tem vontade, mas Deus também tem vontade. É verdade que o homem é dotado de poder, mas Deus é o onipotente. É verdade que, falando de modo geral, o mundo material é regulamentado por leis, mas, por detrás dessas leis, há o Legislador e Administrador, que as estabelece.

O homem é somente uma criatura. Deus é o Criador, e, intermináveis eras antes de ver o homem a luz pela primeira vez, já existia o “Deus altíssimo” (Isaías 9:6); e antes da fundação do mundo foram feitos os seus planos; e, sendo o Senhor infinito em poder, ao passo que o homem é apenas finito, seu propósito, seu plano, não pode ser resistido ou impedido pelas criaturas de suas próprias mãos.

CategoriaArtigos

© 2017 Igreja Presbiteriana de Jundiaí.Feito por: Loro Comunicação

Siga-nos: