Evang. Israel A. Trajano Lopes

Todos nós, quer, admitamos ou não, recebemos influências que refletem nas decisões, direcionamento e sentido que damos a nossa vida. Diante disto é saudável descobrir e admitir: o que direciona sua vida?

Muitos são dirigidos pela culpa. Tais pessoas passam a vida inteira ocultando a vergonha de um passado permeado por muitos erros, sendo pressionados pelas suas lembranças e sentimentos de culpa. Estão sempre se sentindo inferiores e incapazes. A estes a Palavra nos diz que: “nenhuma condenação há para os que estão em Cristo” (Rm. 8: 1).

Muitos são dirigidos pelo rancor. Já estes se apegam as mágoas não conseguindo superá-las; desconhecem o poder e a cura que reside na prática do perdão. São sempre vítimas, sempre prontos a advogar que seus sofrimentos são maiores do que os do próximo; sofrem de uma sempre baixa estima, nunca satisfeito por não verem a queda do oponente. Amar ao próximo como a si mesmo (Mc. 12: 33), é mais difícil das tarefas.

Muitos são dirigidos pelo materialismo. Isto ocorre quando o desejo de adquirir se torna máximo na vida. Tais pessoas são iludidas pela ideia de que é feliz aquele que mais possui; a estes tipos Jesus disse: “Acautelai-vos e guardai-vos da avareza; a vida de um homem não consiste na abundância dos bens que ele possui” (Lc. 12: 15).

Muitos são dirigidos pelo medo. Seus temores advêm de experiências traumáticas, de tentativas frustradas, muitas vezes filhos de uma família muito severa. Perdem oportunidades, pois se recusam correr riscos, a abandonar aquilo que lhes parece seguro. O medo é um excelente dispositivo para a preservação da vida, mas, não dosado; pode ser castrador de sonhos e realizações. “Não temas, porque eu sou contigo; não te assombres, porque eu sou teu Deus…” (Is. 41: 10).

Existem muitos erros dirigindo a vida de muitos, levando você para longe de Deus, distante de sua vontade. Quem ou o que está nos guiando.

O que dirige sua vida? Minha sugestão é que seus passos sejam dados sob a luz do Espírito Santo de Deus, deixe Deus te guiar assim como fez com seu povo ao saírem do Egito cf. Ex. 13. 17-22. É importante saber que a salvação e a missão do povo de Deus não são por caminhos fáceis. Pelo contrário, passam por caminhos de deserto, onde o povo aprende a confiar em Deus. Mesmo nestes caminhos tenebrosos, Deus está sempre direcionando seu povo. Deus é presente, poderosamente presente.
___________
Texto publicado no boletim da Igreja Presbiteriana de Jundiaí de 7/12/2014.

CategoriaArtigos

© 2017 Igreja Presbiteriana de Jundiaí.Feito por: Loro Comunicação

Siga-nos: