Neste mês de julho temos considerado sobre as marcas de uma igreja saudável, baseado no livro chamado Nove Marcas de Uma Igreja Saudável, de Mark Dever. Já vimos três marcas de uma igreja saudável: Pregação Expositiva, Compreensão Bíblica quanto ao Evangelismo e Exercício Fiel da Disciplina Eclesiástica. Hoje veremos que uma das marcas de uma igreja saudável é Uma Compreensão Bíblica quanto à Membresia da Igreja.

A IPJ possui hoje 310 membros (contando com os membros da Congregação de Louveira). No entanto, mesmo considerando o número de membros apenas da sede, não é esse número de pessoas que temos participando das EBD´s e Cultos dominicais. De acordo com um recente estudo da Convenção Batista do Sul, nos Estados Unidos, uma típica igreja batista do sul tem 233 membros e 70 pessoas no culto dominical matutino.

Com exceção dos casos em que há limitações físicas que impedem a frequência, esta situação não sugere que a membresia vem sendo apresentada como não necessariamente requerendo envolvimento? Afinal o que este número de membros significa? Se a igreja é um edifício, então nós devemos ser tijolos nele; se a igreja é um corpo, então nós somos seus membros; se a igreja é a família da fé, presume-se que nós fazemos parte dessa família.

Ovelhas permanecem no rebanho, e ramos na videira. Biblicamente, se uma pessoa é cristã ela precisa ser membro de uma igreja. Deixando os aspectos particulares de lado – se o rol de membros é mantido em fichários ou em discos de computador – o certo é que não devemos deixar de congregar-nos (Hebreus 10:25). Esta condição de membro não é um simples registro de uma declaração que fizemos uma vez no passado ou o apego a um lugar familiar. Deve ser o reflexo de um compromisso vivo, ou então é inútil e até mesmo pior que inútil: é uma condição perigosa.

Mark Dever finaliza o capítulo de seu livro escrevendo: Ore para que a o rol de membros das igrejas passe a ser algo mais do que é atualmente, de forma que nós possamos conhecer melhor por quem nós somos responsáveis, para que possamos orar por eles, encorajá-los e desafiá-los. Jamais deveríamos permitir às pessoas permanecerem no rol de membros de nossas igrejas por razões sentimentais.

Biblicamente falando, tal membresia não é membresia alguma. Ser membro de uma igreja significa ser incorporado de forma prática no corpo de Cristo. Significa viajarmos juntos como estrangeiros e peregrinos neste mundo enquanto caminhamos rumo ao nosso lar celestial. Certamente outra marca de uma igreja saudável é uma compreensão bíblica quanto à membresia de igreja.

CategoriaArtigos, Pastoral

© 2018 Igreja Presbiteriana de Jundiaí.Feito por: Loro Comunicação

Siga-nos: