O sofrimento é sem dúvida o “calcanhar de Aquiles” na teologia de muitos cristãos. O que o evangelho tem a nos ensinar sobre o sofrimento?

1) O evangelho é uma mensagem que inclui sofrimento. Paulo descreve o evangelho em 1Co 15.3-4 e o resume como a história da morte, sepultamento e ressurreição de Jesus. “Cristo morreu pelos nossos pecados” (1Co 15.3), ou seja, Cristo sofreu! Nesse sentido o evangelho é a história do sofrimento do nosso Salvador.

2) Por causa desse evangelho, temos um Deus que se compadece de nós quando sofremos. Por pelo menos duas vezes o autor de Hebreus nos diz que Cristo pode nos socorrer e se compadecer por nós pelo fato de ter “sofrido” e ter sido “tentado”. Veja um exemplo: “Porque, tendo em vista o que ele mesmo sofreu quando tentado, ele é capaz de socorrer aqueles que também estão sendo tentados.” Hb 2.18. (O outro exemplo: Hb 4.15).

3) O sofrimento de Cristo nos serve como exemplo para essa vida. Ao contrário do que alguns ensinam de que não há mais sofrimento na vida cristã, a bíblia ensina que pelo fato de Cristo ter sofrido sem pecar, ele é o nosso exemplo de como viver em meio ao sofrimento. Veja o que Pedro diz: “Para isso vocês foram chamados, pois também Cristo sofreu no lugar de vocês, deixando-lhes exemplo, para que sigam os seus passos.” (1Pe 2.21).

4) Houve propósito no sofrimento de Cristo e há propósito no nosso sofrimento. Acerca de Cristo é dito que “por causa do sofrimento da morte, foi coroado de glória e de honra, para que, pela graça de Deus, provasse a morte por todos” (Hb 2.9). Cristo sofreu com um propósito, ele tinha de provar a nossa morte e ser coroado por isso. Da mesma maneira a bíblia nos oferece os “para que” quanto ao nosso sofrimento: “De fato, tivemos em nós mesmos a sentença de morte, para que não confiássemos em nos mesmos, e sim no Deus que ressuscita os mortos…” (2 Co 1.9).

Somos “vasos de barros, para que se veja que a excelência do poder provém de Deus, não de nós…” (2Co 4.7). “Levamos em nosso corpo o morrer de Jesus, para que também a vida dele se manifeste em nosso corpo” (2Co 4.10). O ponto aqui é importante: sofremos com propósito. Não estamos lidando com o acaso, não estamos sob ação última do diabo, mas sim do nosso Deus soberano que está usando dessas adversidades para realizar seus planos! Termos essa consciência de que Deus está fazendo algo em nossa dor, muda a maneira de experimentarmos o sofrimento.

5) Graças ao evangelho, o sofrimento deixará de existir. Estejamos certos de que por meio do sofrimento de Cristo, Deus resolveu o problema do nosso sofrimento. Temos a esperança de que a “criação será libertada do cativeiro da corrupção” (Rm 8.21).

Por: Pr. Thiago Guerra

CategoriaArtigos, Pastoral

© 2018 Igreja Presbiteriana de Jundiaí.Feito por: Loro Comunicação

Siga-nos: