Onde Deus está lhe chamando para compartilhar o Evangelho? Jonas foi chamado para proclamar o Evangelho em Nínive, e para entender o significado de seu chamado, o contexto poderá ajudar.

Nós sabemos por Jonas 3.3, que Nínive “era uma cidade muito grande; demorava-se três dias para percorrê-la.” Nínive era tão grande que o autor do livro de Jonas resolveu empregar a palavra “muito grande” na sua descrição, bem como nos dar as dimensões dela.

Historiadores estimam que em Nínive poderia morar até 150.000 pessoas e, naquele tempo, qualquer cidade acima de 100.000 era uma grande metrópole. Nínive também era um centro político, social e econômico para o império assírio, e onde há dinheiro, pessoas e poder, seguramente há os atos mais deploráveis de iniquidade (Jonas 1.2, 3.8). Você entendeu. Nínive era um lugar no qual parecia ser impossível evangelizar: muitas pessoas, muito grande e muito perversa. Não é de se admirar que Jonas fugiu.

E aqui tem outra questão que eu sempre considerei: num mundo sem carro ou comunicação digital, como uma pessoa podia logisticamente compartilhar a mensagem com todos os moradores? Nós nos perguntamos duvidosamente como um homem insignificante pode alcançar uma cidade tão grande quanto Nínive, quando deveríamos nos perguntar, com expectativa, quando um Deus tão grande realizará uma tarefa tão insignificante como Nínive.

Seja lá o que nós fizermos, logicamente, ficaremos com medo. Jonas calculou a população, a distância e os seus meios pessoais de comunicação. Quando ele analisou os números, os resultados eram assustadores o suficiente para ele correr a metade do mundo! Porém, aqui está o que Jonas deveria ter feito: ele deveria ter medido o infinito poder de Deus contra a infinitésima cidade de Nínive. Aqui está o princípio que eu quero que você leve consigo hoje: nosso trabalho não é realizar a tarefa. Nosso trabalho é ir.

Deixe Deus realizar a salvação e o seu trabalho é ir. Você nunca será capaz de realizar a tarefa de salvar alguém. Você não consegue converter um coração. Você não consegue criar a fé. Você não consegue substituir a rebeldia pecaminosa pela alegre submissão. Esses são atos de intervenção divina. Todavia, você pode apresentar às pessoas ao Divino. Quando você vive sob a bandeira da “salvação pertence ao Senhor!” (Jonas 2.9), a carga assustadora do evangelismo deixa os seus ombros. Você é livre para ser apenas um mensageiro, não um salvador. Mas você tem que parar o cálculo e começar a ida.

Esta semana – não, façamos isso hoje – para quem você pode apresentar o Divino? Quando Jonas finalmente colocou de lado a sua calculadora da salvação e deixou a tarefa nas mãos de Deus, o que o Senhor fez? Ele foi fiel à sua promessa – “os moradores de Nínive creram em Deus” (Jonas 3.5).

Fonte: (Paul Tripp)

CategoryArtigos, Pastoral
Escreve um comentário

*

Your email address will not be published.