Por Presb. Claudio Andrade

Como descobrir a vontade de Deus? Será que devo me casar? Com quem? Que curso devo fazer? Viajo ou não? O que Deus quer? Entender a vontade de Deus tem sido tema de muitas palestras, mensagens e conferências. Sabemos que a vontade de Deus é boa, perfeita e agradável (Rm12:2), mas então como conhecê-la?

A gente sabe que algumas pessoas gostam mais de um tipo de comida do que de outra. Gostam mais de viagem à praia do que no campo. Preferem filmes de romance em vez de terror ou gostam de músicas clássicas a popular. Ninguém conhece a outra pessoa pra valer com apenas uma conversa. Ninguém se torna o melhor amigo no primeiro dia de aula. É necessário conviver, conversar e participar da vida.

Baseado neste convívio, podemos identificar os gostos e vontades que agradam o nosso amigo. Vamos pensar com relação a Deus. Quanto mais conversamos com Ele (oração), ouvirmos(Palavra) e obedecermos, fatalmente, teremos uma maior intimidade com Ele. Assim, iremos nos aproximar cada vez mais do que Deus realmente quer para a nossa vida.
Para saber a vontade de Deus é preciso conhecê-lo.

Quanto mais conheço mais saberei o que lhe agrada. O rei Davi pede que Deus o ensine a fazer a Sua vontade. Sl 143:10. O nosso maior modelo de exemplo é Jesus, que veio para fazer a vontade do Pai (Jo 4:34;5:30 6:38). Em sua agonia no Getsemani disse; “Se queres afasta de mim este cálice,… não faça a minha vontade, mas a tua” (Lc22:42). Os apóstolos escreveram sobre fazer a vontade de Deus (I Ped 4:12, Col 4:12, I Tess 5:18). Elaborei uma lista do que entendo ser a vontade de Deus.

1- Reconhecer que Jesus é o filho de Deus, aceitá-Lo como salvador pessoal.
2- Encher-se do Espírito Santo. Santificação (I Tess 4:13), o afasta do pecado e reflete diretamente as nossas ações e nos relacionamentos com Deus e com o próximo, a saber, irmãos, cônjuge, filhos, patrão, empregado. (Ef 5:17-6:9).
3 – Se você tem Jesus como salvador e está cheio do Espírito Santo, escolherá, naturalmente, o que agrada a Deus e sempre terá paz em suas decisões.
4 – Fazer a vontade de Deus, por exemplo, é obedecer aos pais, não trapacear, falar a verdade, tratar bem os outros etc.
5 – É possível que você sofra com essas decisões (I Ped 3:17), mas o resultado é infinitamente recompensador (II Ped1:11).

CategoriaArtigos

© 2017 Igreja Presbiteriana de Jundiaí.Feito por: Loro Comunicação

Siga-nos: